FETRACOM | Fetracom - Federação dos Trabalhadores no Comércio nos Estados de Goiás e Tocantins

Notícias

Notícias Fetracom

Dialogar com trabalhadores informais e dispersos é o novo desafio de Lula

Publicado em : 03/11/2022

Fonte : Uol -

Quando foi eleito presidente da República pela primeira vez, em 2002, Lula discursou com a voz embargada: "Que ninguém nunca mais ouse duvidar da classe trabalhadora."

Vinte anos atrás, a chegada ao Palácio do Planalto do ex-metalúrgico sem diploma universitário — como ele próprio gostava de frisar — foi impulsionada por uma ampla concentração de forças.

A base era composta por sindicatos e movimentos sociais do campo, apoiados por setores progressistas da Igreja Católica e das universidades.

Porém, duas décadas depois, essa combinação já não existe mais. Ou, na melhor das hipóteses, já não demonstra o mesmo vigor.

E é justamente o diálogo com a classe trabalhadora, da qual Lula sempre se arvorou representante por excelência, que o líder petista terá como um dos principais desafios de seu terceiro mandato, a partir de janeiro do ano que vem. Os motivos são diversos.

Em primeiro lugar, há uma evidente crise de legitimidade dos sindicatos, agravada pela Reforma Trabalhista de 2017 que implodiu o financiamento dessas entidades.

Além disso, desde a recessão de 2015 e o subsequente impeachment de Dilma Rousseff, importantes mudanças vêm se consolidando no mercado de trabalho brasileiro. Uma das mais relevantes é aquilo que Ruy Braga, professor de sociologia do trabalho da Universidade de São Paulo (USP), chama de "Nova Informalidade".

Resumidamente, a típica trajetória do trabalhador brasileiro médio, que ao longo de sua vida laboral buscava fazer a transição do bico para a carteira assinada, já não parece seguir os mesmos passos da época em que Lula conquistou seu primeiro mandato presidencial.

Braga fareja uma desconexão cada vez maior entre esses dois mundos. Quer dizer: quem começa na informalidade dificilmente consegue dar o salto para a formalidade — que paga salários mais altos e oferece trabalhos mais qualificados.

Existe uma série de componentes que explicam esse novo cenário, para além da performance econômica pífia que o país vem registrando há pelo menos sete anos. E eles vão da ascensão da economia digital, alicerçada na erosão dos direitos trabalhistas, à popularização do empreendedorismo "fé em Deus e pé na tábua" da Teologia da Prosperidade, para além dos templos evangélicos neopentecostais.

Dialogar com a crescente base de informais alargada na ressaca da pandemia, e que hoje responde por quatro a cada dez trabalhadores, é sem dúvida um dos principais desafios do terceiro mandato de Lula.

Assim como será especialmente difícil aprimorar a qualificação da mão de obra para alavancar a produtividade do brasileiro e, de quebra, aumentar a renda do trabalho, num país em que 37% das pessoas ganham até um salário mínimo.

Lula continua sendo um autêntico representante da classe trabalhadora brasileira — vem precisamente daí sua identificação com o eleitorado que lhe garantiu um terceiro mandato. Mas há diferenças nada sutis entre o Brasil de 2002 e o de 2022. Resta saber se ele será bem-sucedido na captação dessas nuances.





Vendas on-line elevam em 75% faturamento

Vendas on-line elevam em 75% faturamento

 19/01/2023

 O Popular

Os pequenos e médios negócios goianos que fazem vendas virtuais movimentaram pouco mais de R$ 109 milhões com o comércio digital em 2022 na plataforma Nuvemshop, que possui mais de 100 mil lojas. O montante foi 75% maior que o registrado no ano anterior, quando [...]


Americanas é a verdadeira missão impossível de Sergio Rial

Americanas é a verdadeira missão impossível de Sergio Rial

 16/01/2023

 Folha de São Paulo

O tema de “Missão Impossível” embalou no final de 2017 uma performance apoteótica de Sergio Rial, advogado e especialista em economia que naquele ano presidia o Santander Brasil, e desceu de rapel até o palco montado no Allianz Parque, em São Paulo [...]



Eleição no Sincojat elege Nivaldo Ferreira

Eleição no Sincojat elege Nivaldo Ferreira

 11/01/2023

O pleito aconteceu na última terça-feira, 10, na sede do sindicato em Jataí, durante todo o dia. Comérciários da região votaram e reelegeram  Nivaldo Ferreira Barcelos para mais um mandato de 5 anos, com 99% de aprovação [...]


SECEG continua tentando fechar CCT com Sindilojas

SECEG continua tentando fechar CCT com Sindilojas

 05/01/2023

 O Popular

  O jornal O Popular trouxe hoje, 05/01, a preparação da equipe jurídica do SECEG de uma nova minuta para ser levada à mesa de negociações no próximo dia 27.  Desde 2021 o Sindicato dos Empregados no Comércio tenta [...]


SAQUE-ANIVERSÁRIO DO FGTS EM 2023 JÁ ESTÁ DISPONÍVEL

SAQUE-ANIVERSÁRIO DO FGTS EM 2023 JÁ ESTÁ DISPONÍVEL

 03/01/2023

 Agência Brasil

Os trabalhadores que optarem pelo saque-aniversário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aos poucos começam a ter acesso à cota de 2023. As retiradas ocorrem conforme o mês de aniversário do trabalhador. Cerca de 1,3 milhão de cotistas [...]