FETRACOM | Fetracom - Federação dos Trabalhadores no Comércio nos Estados de Goiás e Tocantins

Notícias

Notícias Fetracom

"Coisa de Sindicalista"

Publicado em : 06/12/2017

Fonte : O Popular -

Artigo publicado hoje no jornal O Popular impresso e Digital com o presidente da FETRACOM GO/TO, Eduardo Amorim.

 

 

O varejo aparece no ambiente financeiro do País com pressão menor sob os números do desemprego e ânimo a mais para as compras de final de ano que tanto agradam quem vende e quem gerencia o lucro, no caso, o empresário. Nem mesmo a nova lei trabalhista intrujou em Goiás as admissões de quem vê a oportunidade de um emprego sazonal.

E veja que foram muitas alterações em tempo recorde de edificação. Por agora não fazem parte das contratações dos temporários, mas deverão mexer com o mercado nos próximos anos. A nova lei trouxe 100 novas pilastras para o Direito do Trabalho com o propósito de colocar as contas públicas em ordem, estimular o mercado e criar novas vagas. Sinceramente: é preciso ver para crer em tantos “benefícios” de um novo código que tornou o ano de 2017 referência na transposição das relações entre capital e trabalho.

Alguns pontos desafiam o entendimento de todas as partes: sindicatos, empresas e empregados. Alertamos para os devaneios na obra, mas a parte burocrata desqualifica dizendo que é “coisa de sindicalista”. No entanto, só vemos se a estrutura foi bem feita quando colocada em uso.

Nos últimos dias os burocratas do governo alertaram que, na situação de contrato intermitente, no caso daquele que ganhe por hora, o trabalhador poderá pagar do próprio bolso a diferença do INSS. Quem não recolher esse valor adicional não terá direito à aposentadoria nem a benefícios como a licença médica.

Este tópico da legislação trincou e colocou a sustentação do código em xeque. Fazer lei no papel é fácil, mas colocar a aplicabilidade dela na prática é outro cenário. Já existe propositura política para passar o ônus do pagamento da diferença para o empresário. Vamos aguardar.

Quem sabe, nos próximos dias, mais uma Medida Provisória venha remendar a rachadura, a exemplo da número 808/2017, que adequou pontos da lei atual. Nessa remodelação, o Congresso Nacional tem até março do próximo ano para aprovar, mudar ou rejeitar os pontos da medida, sendo que a mesma ganhou mais de 1 mil sugestões ao texto do governo.

As mudanças propostas por parlamentares vão desde alterações simples no texto até mudanças radicais, como a revogação completa da Reforma e o restabelecimento da redação anterior da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Tantos gargalos geram, no mínimo, insegurança em todos, fruto do imediatismo político que fez a obra a toque de caixa. Com isso, a estrutura trinca e é necessário o remendo que poucos sabem fazer, mas muitos dependem da garantia de utilização.

 

Eduardo Amorim - presidente da Federação dos Trabalhadores no Comércio nos Estados de Goiás e Tocantins (FETRACOM GO/TO)

 







Valor de acordos trabalhistas pagos sobe 24%, segundo TST

Valor de acordos trabalhistas pagos sobe 24%, segundo TST

 07/11/2018

 Folha de São Paulo

Quase um ano após a reforma trabalhista, o número de acordos firmados na Justiça entre empregados e empregadores cresceu. O valor pago em consenso subiu 24% entre dezembro de 2017 e setembro deste ano em relação ao mesmo período [...]


Bolsonaro confirma extinção do Ministério do Trabalho

Bolsonaro confirma extinção do Ministério do Trabalho

 07/11/2018

 Folha de São Paulo

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou nesta quarta-feira (7) que o Ministério do Trabalho será extinto.  "O Ministério do Trabalho vai ser incorporado a algum ministério", disse, sem dar mais detalhes. A declaração [...]


Editoras buscam tática para 'salvar' a Saraiva

Editoras buscam tática para 'salvar' a Saraiva

 06/11/2018

 Estado de São Paulo

Depois de verem a Livraria Cultura sucumbir à recuperação judicial, por conta de seu alto endividamento, as editoras estão empenhadas em evitar que a Livraria Saraiva siga o mesmo destino, afirmam fontes do setor. O Sindicato Nacional das Editoras de Livros (Snel) [...]



BANCADA SINDICAL PERDE REPRESENTAÇÃO NA CÂMARA

BANCADA SINDICAL PERDE REPRESENTAÇÃO NA CÂMARA

 01/11/2018

 Agência Brasil

A bancada sindical na próxima legislatura, que começa no dia 1º de fevereiro de 2019, será menor do que na atual. Foram eleitos somente 33 representantes de sindicatos na última eleição para a Câmara Federal, contra os 51 que atualmente [...]




Goiás: Lojistas freiam contratações

Goiás: Lojistas freiam contratações

 25/10/2018

Edna Mesquita, gerente de Recursos Humanos da Flávio’s Calçados: “Contratações estão 5% abaixo se comparado com o ano passado, mas estamos em cenário de contratação direta” (Foto: Lúcia Gobbi/Integrante do [...]