FETRACOM | Fetracom - Federação dos Trabalhadores no Comércio nos Estados de Goiás e Tocantins

Notícias

Notícias Fetracom

Cada R$ 1 no salário mínimo gera impacto de R$ 320 milhões, diz secretário

Publicado em : 27/11/2019

Fonte : O Estado de São Paulo -

A revisão no valor do salário mínimo projetado para 2020 deve gerar uma economia de R$ 2,56 bilhões no Orçamento. Segundo o secretário de Orçamento Federal do Ministério da Economia, George Soares, cada R$ 1 de diferença no salário mínimo tem impacto de R$ 320 milhões.

A indicação inicial na proposta orçamentária era de que o salário mínimo ficaria em R$ 1.039 em 2020. No início deste mês, porém, o governo revisou suas projeções para o INPC (índice de inflação que corrige o piso nacional) de 2019, para 3,26%. Com isso, o salário mínimo deve subir menos, para R$ 1.031.

A diferença de R$ 8 é o que trará a economia de R$ 2,56 bilhões. O secretário lembrou que o piso nacional é referência para aposentadorias, abono salarial e linha de corte para o recebimento de uma série de benefícios sociais. Por isso, o impacto significativo nas despesas. O salário mínimo hoje é de R$ 998.

Fundo eleitoral

A modificação à proposta de orçamento de 2020 também reduziu os recursos destinados ao fundo eleitoral no próximo ano, que são destinados ao financiamento de campanhas.

O valor foi reduzido em R$ 504 milhões, passando para R$ 2,034 bilhões. Segundo o secretário George Soares, isso foi feito porque houve uma mudança na metodologia no cálculo da renúncia fiscal para excluir da conta a renúncia com a propaganda eleitoral gratuita dos partidos, que não existe mais.

Ministérios

Com as revisões feitas para a mensagem modificativa ao projeto de lei do Orçamento de 2020, ministérios ganharam mais R$ 5,4 bilhões em despesas. A Defesa recebeu a maior fatia dos recursos, R$ 2,4 bilhões, seguida pelo Ministério da Infraestrutura, R$ 950 milhões, e da Justiça, R$ 850 milhões.

O Ministério da Educação receberá R$ 600 milhões e o da Economia, R$ 428 milhões. Outros R$ 270 milhões foram para a Presidência da República e R$ 61 milhões para o Ministério de Minas e Energia.

O secretário-adjunto de Fazenda, Esteves Colnago, disse que o governo pretende "pegar carona" em um projeto de lei em tramitação no Congresso Nacional para modificar o orçamento de 2019, o que permitirá o pagamento de US$ 300 milhões ao Banco dos Brics.


Veja a idade mínima da aposentadoria do INSS em 2020

Veja a idade mínima da aposentadoria do INSS em 2020

 13/01/2020

 Folha de São Paulo

Quem estava contando os dias para entrar com o pedido de aposentadoria no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) pode ter que refazer os cálculos. Isso porque, desde 1º de janeiro deste ano, passaram a valer novas regras de transição, mais duras do que as que [...]



Grupo Pão de Açúcar abre lojas dentro de empresas

Grupo Pão de Açúcar abre lojas dentro de empresas

 10/01/2020

 Folha de São Paulo

A rede Minuto Pão de Açúcar, do GPA, estreia suas lojas para o segmento de escritórios. A primeira será na sede do Bradesco Seguros, em Alphaville, Barueri (SP), e a segunda, na central administrativa do Assaí Atacadista, na zona leste [...]




Como é estar grávida no mercado de trabalho

Como é estar grávida no mercado de trabalho

 07/01/2020

 Folha de São Paulo

O ato de gestar um bebê é mais antigo do que as relações de trabalho que conhecemos hoje. Ainda assim, há empresas e chefias que ainda não sabem lidar com uma funcionária que engravida.  Depois de uma pausa para as festas de [...]


Empresas pernambucanas inventam picolé de cerveja

Empresas pernambucanas inventam picolé de cerveja

 07/01/2020

 Follha de São Paulo

Com a chegada do verão e a proximidade do Carnaval, duas empresas pernambucanas se uniram para lançar um picolé de cerveja. O produto será comercializado a partir desta quinta-feira (9) em 24 pontos de venda em Pernambuco. A estimativa é de que [...]








Governo recua de distribuir 100% do lucro do FGTS

Governo recua de distribuir 100% do lucro do FGTS

 13/12/2019

 O Estado de São Paulo

O governo federal recuou e desistiu de distribuir 100% do lucro do FGTS com os trabalhadores. O presidente Jair Bolsonaro atendeu a um pedido do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e vetou o dispositivo que ampliaria a distribuição do lucro e a rentabilidade das [...]