FETRACOM | Fetracom - Federação dos Trabalhadores no Comércio nos Estados de Goiás e Tocantins

Notícias

Notícias Fetracom

Black Friday 2019 deve injetar R$ 421 milhões no mercado goianiense

Publicado em : 26/11/2019

Fonte : CDL -

Pesquisa revela que 35% da população da Região Metropolitana de Goiânia pretende comprar na data. O valor médio a ser gasto com os produtos ficou em R$ 1.412,00.

A Black Friday, que neste ano será no dia 29 de novembro, deve movimentar R$ 421 milhões na economia goianiense, segundo pesquisa encomendada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Goiânia. O valor é 11% maior que o previsto no ano passado, quando o estudo apontou a injeção de R$ 379 milhões no mercado. O estudo foi feito pela Grupom Assessoria.

O aumento de injeção de dinheiro na economia é explicado levando em consideração o valor dos produtos a serem adquiridos na data. Conforme o estudo, o valor médio a ser gasto será de R$ 1.412,00. Um crescimento de 24% em relação ao ano passado, quando os entrevistados disseram pretender gastar R$ 1.139,00.

Apesar do valor a ser injetado na economia ser maior que em 2018, o estudo aponta redução no número de pessoas que pretendem comprar na data. De acordo com a pesquisa, 35% da população economicamente ativa da Capital tem a intenção de adquirir algum produto, o que corresponde a 298 mil pessoas. No ano passado, o percentual foi de 49%.

Pesquisa de preços
Do total de pessoas que pretendem aproveitar a data, 90% farão pesquisa de preços antes de comprar. Conforme o estudo, os principais produtos a serem adquiridos pelos entrevistados nesta Black Friday são eletrodomésticos (33%); celulares (22%), vestuário (18%); eletroeletrônicos (17%); e calçados (9%). Destaque para as joias (8%), que aumentou 4 pontos percentuais em relação ao ano passado.

Local de compra
A pesquisa mostrou que o consumidor Goianiense está bem dividido em relação ao local de compra: 53% deles pretendem aproveitar as ofertas da Black Friday em lojas físicas e, outros 52%, em lojas online.

Forma de pagamento
A maior parte dos consumidores (60%) que irá comprar na Black Friday pretende pagar com cartão de crédito, seguido de dinheiro (29%) e cartão de débito (6%) – o que significa que 35% quer pagar à vista. Já os principais fatores que devem influenciar o processo de compras por parte dos entrevistados são preço (57%), localização (40%) e atendimento (35%).

Confira dados da pesquisa:
– 35% da população economicamente ativa de Goiânia pretende comprar produtos na data;
– 49% dos entrevistados disse acreditar nos descontos da Black Friday;
– A maioria (60%) quer pagar cartão de crédito;
– O valor médio de cada produto ficou em R$ 1.412,00;
– 53% farão as compras em lojas físicas e, outros e, outros 52%, em comércio eletrônico (online);
– 90% farão pesquisa de preços antes de comprar.
– Os principais produtos são eletrodomésticos (33%); celulares (22%), vestuário (18%); eletroeletrônicos (17%); calçados (9%); e joias (8%).

 

 







Banco Central anuncia lançamento da nota de R$ 200

Banco Central anuncia lançamento da nota de R$ 200

 30/07/2020

 Agência Brasil

A partir do fim de agosto, os brasileiros poderão circular com um novo tipo de cédula. O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou nesta quarta-feira, 29, a criação da nota de R$ 200. A cédula terá como personagem o [...]






Reabertura de lojas não deve frear e-commerce na Bolsa

Reabertura de lojas não deve frear e-commerce na Bolsa

 24/07/2020

 Estadão

O confinamento dos brasileiros em casa por conta da pandemia de coronavírus fez as ações do e-commerce ganharem destaque na bolsa de valores entre abril e junho. Dados da Neotrust/Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado focada no segmento [...]


Goiás tem 1,13 milhão de trabalhadores informais

Goiás tem 1,13 milhão de trabalhadores informais

 24/07/2020

 O Popular

O número de trabalhadores informais em Goiás foi de 1,13 milhão em junho, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid-19 (Pnad Covid), publicada ontem pelo Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE). O número de junho [...]